Social Icons

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Desterro, um dos bairros mais antigos de São Luís, é revitalizado



O Desterro foi cenário dos primeiros momentos da ocupação portuguesa em São Luís. Caminhando pelas vielas do bairro, é possível encontrar facilmente os traços colônias que perduram até hoje no local. Apesar de localizar-se no extremo oposto da cidadela fundada pelos franceses (cercada por muros), o Desterro já aparece sinalizado na primeira planta da cidade, de 1642, como uma expansão da área urbana, ligado pela Rua da Palma e outros dois arruamentos. Na planta, observa-se a presença de uma rua que desemboca no mar, deixando clara a finalidade portuária na área – que se mantém viva até hoje - e da igreja, que nesse momento tinha como orago Nossa Senhora do Desterro, invocação muito comum entre os portugueses que vinham para as colônias. Após sucessivas reconstruções, a igreja passou a ter como orago São José do Desterro.

Através da Fundação Municipal de Cultura (Func), a Prefeitura de São Luís realiza todos os anos a Feira do Livro, que tem como objetivo expandir a cultura literária e incentivar o hábito da leitura nos cidadãos da capital. Para a campanha de 2014, o bairro do Desterro foi escolhido como sede da maior festa literária do estado do Maranhão. Conforme divulgado pela Func, a intenção é fazer algo voltado para o público infantil. “Este ano, a essência da Feira está voltada ao público infantil e ao incentivo à produção literária nessa área. Mas não apenas isso: a feira realizada no Centro Histórico busca provocar a cidade a rever a cidade, a redescobri-la nas suas lembranças de infância, a fazer uma releitura e ver na cidade outras possibilidades de encontro e, assim, viver uma nova experiência de encantamento pela cidade e por sua literatura”, declarou Francisco Gonçalves.

A escolha do Desterro como centro principal da Feira do Livro de 2014 não foi por acaso: o bairro é um dos mais antigos da cidade - um dos onze que compõem o Centro Histórico de São Luís do Maranhão – e já foi tombado pela Unesco como patrimônio histórico da humanidade. Através de suas ruas é possível contemplar um dos principais conjuntos arquitetônicos do Brasil dos séculos XVIII e XIX.

Apesar de abrigar construções memoráveis e guardar um importante legado histórico, como a Igreja do Desterro, uma das mais antigas de São Luís, e o Convento das Mercês, o bairro estava sofrendo uma leve queda em relação ao movimento turístico no local nos últimos tempos, pois a maioria de turistas e ludovicenses acabavam se dirigindo somente à Praia Grande, região consolidada no roteiro turístico de quem visita a cidade. Acredita-se que com os reparos feitos no local, início das atividades de revitalização do bairro e a chegada da Feira do Livro, o Desterro receba um fluxo maior de visitantes nos próximos dias.

A programação do evento será desenvolvida em seis pontos diferentes da região: Convento das Mercês, Auditório da Faculdade de Arquitetura da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Largo da Igreja do Desterro, praça lateral do Museu do Audiovisual do Maranhão (Mavam), Escola de Música do Bom Menino e Aliança Francesa. A proposta é fazer que os visitantes do bairro conheçam os diversos pontos famosos de lá.

Revitalização
Após enfrentar um longo período de decadência econômica, o bairro do Desterro começa a receber um processo de revitalização que foi implantado por meio da Prefeitura de São Luís com o objetivo de restaurar casarões, praças e pontos notáveis de toda a região do Centro Histórico da cidade. Aos poucos é possível observar que luminárias e postes estão sendo trocados, que as praças estão mais limpas e o sistema de policiamento aumentou na região. É elementar que a preservação de tudo que será restaurado também fica por conta dos moradores do local, que em sua maioria estão acima dos 40 anos, conforme informou a Associação dos Moradores do Desterro. O bairro que já foi um dos principais centros comerciais e também residenciais da de São Luís, agora recebe trabalhos voltados para a infra-estrutura e até restaurações de casarões coloniais que estavam em condições de desabamento.

Dono de um comércio no Desterro, Cláudio Cutrim, que mora no local há 55 anos comentou: “como habitante daqui, fico feliz por ver essa iniciativa, pois o bairro ganha uma nova vida e tanto nós moradores quanto os visitantes saem ganhando. Nós que moramos aqui ganhamos pela maior segurança que o bairro recebe e pelos lucros que ganhamos através dos negócios que mantemos aqui no Desterro; e os visitantes colhem os frutos de poder conhecer mais sobre um dos pontos mais célebres de São Luís”.

O Desterro recebeu reforço com policiamento especial desde a semana passada e em alguns pontos estão sendo instaladas novas iluminações para auxiliar na segurança. “Quem mora no local sabe que estávamos precisando de mais atenção, pois o legado cultural do nosso bairro estava sendo esquecido, principalmente pelas próprias pessoas daqui. Pouca gente sabe que saíram grandes artistas, de diversas áreas, daqui do bairro pro Brasil e pro mundo e muitos dos que passam por aqui não sabem nem metade das histórias escondidas por trás dos casarões antigos que ainda estão firmes”, explica o morador e integrante da Associação de Moradores do Desterro, Guttemberg Santos.

Pedro Laurindo dos Santos Filho, o famoso “Dotinha” - figura ilustre que é encontrada constantemente no Desterro e um dos maiores campeões mundiais de dama – sempre conta histórias míticas do lugar e se demonstra apaixonado pelo bairro, conhecendo quase todos os moradores.

Com o início da Feira do Livro, é expectável que bons reflexos apareçam no Desterro, e no momento certo, pois o bairro vivia à margem de todo o processo de melhoria do Centro Histórico e ainda não havia recebido a devida atenção. Um bairro que emana cultura e dissemina a história de São Luís por intermédio de suas marcas e pontos históricos, azulejos e fechadas de casarões centenários, deve ser tratado com atenção e nunca submetido ao abandono.

Fonte: Jornal Cazumbá

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Feira Internacional de Artesanato ocorre em São Luís




Vai ser aberta, na sexta-feira (24), no Espaço Renascença, em São Luís, Feira Internacional de Artesanato, Moda e Decoração. Organizado pela Associação do Bem-Estar de Artesãos Cearenses, o evento é realizado pela segunda vez na capital maranhense. A exposição se estende até o dia 2 de novembro, das 16 às 22h.

A expectativa dos organizadores é que o evento receba, aproximadamente, 30 mil pessoas. Desde 2008, a feira percorre o Brasil, expondo trabalhos de profissionais de 20 países e 14 Estados brasileiros.

Fonte: Jornal Cazumbá

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Ministério do Turismo elege 7 projetos turísticos para Parques Nacionais



O Ministério do Turismo (MTur) selecionou, por meio de chamada pública, sete projetos de incentivo às produções artesanais, industriais ou agropecuárias que incorporem valor turístico aos municípios no entorno de 12 Parques Nacionais. Os projetos classificados poderão receber até R$ 600 mil, totalizando o investimento de R$ 3 milhões distribuídos pelas macrorregiões do País.

“O objetivo inicial da chamada pública era selecionar cinco projetos, sendo um em cada macrorregião. Como o valor de algumas propostas era menor do que o previsto no edital, outros dois projetos poderão ser apoiados ainda neste exercício”, disse o secretário nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Neusvaldo Lima.

Entre os selecionados estão os projetos apresentados pelas prefeituras municipais de Conceição do Mato Dentro (MG), Jacinto Machado (SC), Morro do Pilar (MG), Praia Grande (SC), Santo Amaro do Maranhão (MA) e Viçosa do Ceará (CE), além da proposta da Goiás Turismo. As ações favorecem comunidades locais, valorizando a cultura de cada região de modo, com o objetivo de gerar renda aos municípios.

Atualmente os Parques Nacionais brasileiros recebem 12 milhões de pessoas por ano e faturam cerca de R$ 1,5 bilhão. Os parques priorizados pelo Governo Federal são: Anavilhanas (AM), Aparados da Serra (RS), Brasília (DF), Chapada dos Guimarães (MT), Chapada dos Veadeiros (GO), Itatiaia (RJ), Lençóis Maranhenses (MA), Serra do Cipó (MG), Serra dos Órgãos (RJ), Serra Geral (SC), Tijuca (RJ) e Ubajara (CE).

Fonte: Panrotas

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Consumidores veem vantagens em compra via agências



Uma pesquisa encomendada pela Addin Viagens revelou que o brasileiro já incorporou ao seu orçamento uma reserva financeira destinada ao lazer e a viagens. No entanto, segundo apurado pelo estudo e confirmado pelo diretor da rede de franquias, Carlos Eduardo Bueno, há um grande potencial cultural e econômico a ser desenvolvido com apresentação de novos destinos e vivência no Exterior.

De acordo com o levantamento, 98,5% dos respondentes realizam viagens nacionais uma vez ou mais ao ano. Já as viagens internacionais são menos usuais. Embora 63% dos entrevistados já tenham viajado ao Exterior, a frequência ainda é baixa. Aproximadamente 34% das mulheres e 41% dos homens nunca saíram do País, enquanto 31% das mulheres e 28% dos homens viajam menos de uma vez ao ano para fora do Brasil.

Outro ponto relevante é a imagem positiva das agências de turismo junto ao público consumidor. Cerca de 80% dos entrevistados concordam que a agência é uma facilitadora de serviços nos processos de planejamento e compra de viagem. Já 60% acreditam que os serviços contratados por agências são mais vantajosos do que os adquiridos em compras independentes.

O estudo também revelou que há grande procura por compra de passagens pela internet, pois os consumidores associam as agências de turismo a compras de pacotes de viagens e não apenas aos serviços individuais. De acordo com os dados coletados, 45% dos entrevistados buscam estes serviços pontuais em sites variados e 46,5% optam pela compra de pacotes completos com os consultores e agências de viagens.

“Precisamos trazer este consumidor para a loja física e apresentar a consultoria do serviço que uma agência pode oferecer. Agregar valor ao produto, sem necessariamente ser mais caro. A venda de serviços pontuais como passagens, hospedagem, locação de carros e ingressos de entretenimento pode ser o primeiro passo para a fidelização e vendas posteriores de serviços com maior valor”, conclui Carlos Eduardo Bueno.

Fonte: Panrotas

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Prefeitura intensifica ações de limpeza no Centro Histórico e Avenida dos Holandeses



A Prefeitura de São Luís, através da Secretaria de Obras e Serviços Públicos (Semosp), intensificou nos últimos dias o serviço de limpeza da cidade. Entre os locais beneficiados com o reforço do serviço estão os bairros do Cohatrac, Centro Histórico e Avenida dos Holandeses. Cerca de 60 agentes de limpeza estão trabalhando nos mutirões que incluem os serviços de varrição, capina e roçagem.

Na Avenida dos Holandeses, os trabalhos foram iniciados no último sábado (11) e contemplaram o trecho da rotatória de acesso à Avenida Litorânea, na Ponta do Farol, até a rotatória do bairro Olho D’água. Ao longo dessa extensão, foram realizadas as ações de variação, capina, roçagem e pintura do meio-fio no canteiro central da avenida.

De acordo com o titular da Semosp, Antônio Araújo, o trabalho de limpeza em regime de mutirão segue determinação do prefeito Edivaldo para manter a cidade limpa. Ele explicou que as ações de reforço da limpeza pública foram iniciadas após o primeiro turno das eleições, para a retirada de resíduos provenientes de materiais de campanha.

“Montamos uma força-tarefa com as nossas equipes de limpeza pública, inclusive com as do serviço de capina e roçagem, quando começamos a recolher das ruas materiais de campanha política. Essa foi uma determinação do prefeito Edivaldo, que solicitou a concentração de esforços para reorganizar o cronograma de limpeza, começando pela área central e principais avenidas”, informou Antônio Araújo.

O mutirão de limpeza também percorreu 31 logradouros do Centro Histórico, durante o último fim de semana. Na ocasião, 70 agentes de limpeza pública foram mobilizados. Entre os trechos beneficiados estão a Avenida Pedro II, Rua Portugal, Rua da Estrela, Rua do Comércio, além de outras 17 ruas, cinco becos e cinco travessas. A ação resultou na remoção de mais de 21 toneladas de resíduos.

Já na segunda-feira (13), as equipes de limpeza estiveram nas ruas do Cohatrac, no percurso do Círio de Nazaré. Foram realizados os serviços de varrição e catação para garantir a limpeza das vias. O trabalho em regime de mutirão prossegue nos próximos dias com a continuidade do serviço no canteiro central da Avenida dos Holandeses, até o trecho limite entre São Luís e São José de Ribamar. Ao atingir este ponto, as equipes retornam realizando as ações nas laterais da avenida, do Araçagy à Ponta do Farol.

Também estão inseridas no cronograma de intensificação da limpeza pública as avenidas Ferreira Gullar, Daniel de La Touche, Franceses, Africanos e Guajajaras, além de outras áreas já mapeadas na cidade.

Fonte: Prefeitura de São Luís

ShareThis

 

ATENÇÃO

Matérias, fotos, vídeos e todo o conteúdo particular tem todos os direitos reservados por seus respectivos donos. Se algum conteúdo deste blog é seu e você não quer que seja publicado, mande um email, que seu conteúdo será retirado do blog.

E-mail: arisdomar@hotmail.com