Social Icons

terça-feira, 4 de junho de 2013

Mostra traz peças do artesanato produzido na ilha de São Luís



Quem for ao Mercado das Artes, no centro histórico da capital, vai poder conferir uma mostra do artesanato produzido na ilha de São Luís. São peças confeccionadas com escamas de peixe e conchas, e até bijuterias produzidas com a renda de bilro, uma tradição da comunidade do município de Raposa.

Na técnica, as linhas são trançadas com agilidade e, de ponto em ponto, vão criando mil e uma possibilidades com a renda. As rendeiras da cidade de Raposa, na Região Metropolitana de São Luís, fizeram da arte o sustento e o orgulho.

Uma herança que todo mundo recebe cedo. Marilene hoje é formada em Pedagogia, mas a mãe a ensinou uma lição valiosa: fazer renda não se aprende na escola. “Ela me incentivou a que eu aprendesse a arte. A renda de bilro é uma arte, que muitos querem fazer, mas nem todos conseguem”, disse.  

O ofício Eronize também carrega e repassa para as filhas. Elas aprendem e ensinam. Assim vão ajudando a perpetuar a arte que nasceu do povo. E será que elas estão prontas para as novidades?

Mexer com um artesanato tão tradicional, que passa de geração para geração, pode até dar um certo medo. Mas artesãs da ilha de São Luís estão aprendendo que é possível inovar sem perder a originalidade.  

Não foi tão fácil assim. O designer Marcelo percebeu no começo o tamanho da resistência, mas elas confiaram no professor e, principalmente, no talento delas. A arte da renda já é uma riqueza, aprenderam então a fazer algo mais chique. As bijuterias feitas com renda.

Depois de aprender a novidade, a rendeira Eronize Rodrigues ganhou novos clientes e muitos elogios. "Todo mundo que olha diz que é lindo. Nós estamos continuando e vamos fazer mais coisas lindas e diferentes", disse Eronize Rodrigues .

E as artistas da renda mostraram que, como toda obra de arte, a delas também merecia uma moldura para enfeitar a parede. É de enganar os olhos. São flores, arranjos coloridos, tudo feito com restos de conchas e escamas de peixes.


Linaci cria ostra e sururu na cidade de Paço do Lumiar. Depois de muito desperdício, aprendeu a reaproveitar. E o que antes ia pro lixo agora está servindo para aumentar a renda. 

Na exposição, os resultados de quem está aprendendo a fazer da arte popular, um produto ainda mais valorizado. Pronto para conquistar clientes de toda a parte do mundo 

A exposição pode ser vista até sexta-feira (7). O mercado das artes fica na Rua do Trapiche, no centro histórico de São Luís.

Vídeo e reportagem completa no G1 Maranhão:

Fonte: G1

Nenhum comentário:

ShareThis

 

ATENÇÃO

Matérias, fotos, vídeos e todo o conteúdo particular tem todos os direitos reservados por seus respectivos donos. Se algum conteúdo deste blog é seu e você não quer que seja publicado, mande um email, que seu conteúdo será retirado do blog.

E-mail: arisdomar@hotmail.com